Mariana Machado é cineasta e multiartista residente em Belo Horizonte. Seus trabalhos passam pelo audiovisual principalmente como diretora, atuando também como roteirista, fotógrafa e montadora. Além disso, Mariana possui experiências de criação e investigação em performance, fotografia, dança e cinema-educação. É formada em Comunicação Social com ênfase em cinema pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG-Brasil). É diretora, fotógrafa, roteirista e montadora do filme “Ângelo”. O filme foi lançado na 9ª Mostra Ecofalante de Cinema, mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais. Atualmente, Ângelo está em fase de distribuição. Mariana Machado é co-diretora do curta-metragem “Maxita Watimapë, os comedores de terra”, filme que está em fase de montagem. Em 2020, foi selecionada no edital "Arte como Respiro", organizado pelo Itaú Cultural, com seu filme "Levarei só o que preciso". 

 

Mariana também é formada no Curso Livre de Teatro no Galpão Cine Horto (2019). Participa do coletivo belo-horizontino de artistas/ativistas/cineclubistas Cine Fronteira, e do coletivo Plataforma Doras ao lado de outras mulheres artistas e performers. Neste coletivo faz parte do elenco da cena BRASA (uma das vencedoras do 19º Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto). Em 2020, foi selecionada para participar da Incubadora “American Arts Incubator” no Brasil, organizada pelo JA.CA, CCBB (BH), e pela Embaixada dos EUA em Belo Horizonte.

 

De 2015 a 2017 se uniu ao Grupo “Mutum: Educação, docência e cinema” (UFMG) como pesquisadora, cineasta e educadora. Estando no grupo, roteirizou, fotografou e montou dois documentários, um deles “O cinema abraça as arpilleras pelas mãos da escola” foi publicado pela editora Autêntica junto ao livro “Telas da Docência: professores, professoras e cinema” e foi lançado na 12ª edição do Festival de Cinema de Ouro Preto.

Em 2017 foi membro do Júri Jovem da vigésima edição do Festival de Cinema de Tiradentes. Fez parte do grupo de pesquisa: “Imagens dos corpos na cidade” (UFMG) como vídeo artista e performer. De 2018 a 2019, integrou o corpo criativo e técnico da produtora “Limão Capeta Filmes”. Em 2018, dirigiu e produziu o clipe “Duas Intenções” da cantora Iza Sabino, selecionado para a mostra de videoclipes do Napoli Film Festival, na Itália. Dirigiu, roteirizou e montou o Clipe "Leoa Azul" da cantora Luísa Bahia, exibido em diferentes Centros Culturais de BH. Em 2018, foi convidada pela Galeria Godarc a expor seu trabalho “Mapas de Ausência”, composto por uma videoarte e fotografias sob intervenções plásticas.
Acredita na arte como potente forma de resistência política e poética. 

Contate-me

Obrigada! Mensagem enviada.