MAXITA WATIMAPË
 OS COMEDORES DE TERRA 

(Curta-metragem em processo)

Direção: Ana Maria Machado e Mariana Machado


 

Uma grande liderança indígena e xamã, Davi Kopenawa Yanomami, vive apreensivo com as ameaças de legalização da mineração na floresta onde vive seu povo. 
Neste filme, Davi Kopenawa passa por Brumadinho, o cenário desolador onde ocorreu o rompimento da barragem de mineração do Córrego do Feijão, em 2019, matando mais de 270 pessoas. Ali se dirige para os jovens yanomami, elaborando sua visão sobre a mineração e os riscos do avanço dessa atividade extrativista na floresta onde vivem. 

Davi Kopenawa fala sobre suas  formas de relação com a terra como entidade viva e morada de tantos outros seres que ali habitam, humanos e não humanos. Ele nos apresenta assim, novas formas de estar no mundo e se relacionar com a terra. O olhar dessa grande liderança indígena brasileira é também um espelho virado para os brancos, já que ao falar sobre mineração, Davi faz uma crítica refinada à maneira exploratória como estes se relacionam com a terra em uma lógica de predação e consumo descontrolado.

Neste mundo cada vez mais caótico e com um futuro distópico, os povos indígenas seguem resistindo, escutá-los e levá-los a sério é uma tarefa urgente e global. 

Esse filme ganhou o Edital BH Nas Telas, da Prefeitura de Belo Horizonte em 2020, e tem o apoio do ISA (Instituto Socioambiental), Hutukara Associação Yanomami, e da ONG Amazon Watch. 

 

TEASER: